AnálisesOpinião

David ajuda ou atrapalha o ataque do Cruzeiro?

Jogador é um dos principais alvos de críticas da torcida celeste

Contratado no início de 2018 para substituir o ala Alisson, o atacante David desde então vive uma relação conturbada com o torcedor cruzeirense. Primeiro por seus problemas com lesões, depois por atuações irregulares e falhas em momentos cruciais. Mas, apesar disso, o camisa 11 celeste em muitos jogos é um dos jogadores mais insinuantes e que menos se esconde do jogo. Afinal, o jogador ajuda ou atrapalha o ataque do Cruzeiro?

David tem 24 anos, completados inclusive ontem (17), e chegou do Cruzeiro vindo do Vitória, por um valor de R$ 10 milhões. Apesar da taxa ser inteiramente bancada por um investidor, esse é um dos principais pontos críticos da torcida em cima do atleta. Afinal, como diria a famosa frase de um jornalista, direcionada, outrora, a um jogador do Palmeiras: “Nem o Real Madrid pagaria R$ 10 milhões no Cristiano Ronaldo se ele fosse do Vitória”.

A chegada no clube

Logo ao chegar no Cruzeiro, David passou muito tempo machucado e demorou até estrear. Teve poucas oportunidades no ano de 2018 e não conseguiu se destacar. Apesar do baixo rendimento, o atacante era poupado pela torcida, pois até então, Arrascaeta e Rafinha davam conta do recado e ele ainda não tinha ganhado uma sequência.

Consolidação como titular

Já em 2019, com a perda de muitos jogadores de lado de campo, David passou a ser escalado com mais frequência. E aí começaram os problemas. Não é novidade para ninguém que o Cruzeiro é um time esfacelado e que a fase que o clube passa é horrível. O que gera dúvidas é se o camisa 11 é prejudicado por esse momento ruim ou se ajuda ele a se manter.

Problemas do jogador

Um dos principais problemas do jogador é a inconstância. David consegue alternar partidas razoáveis, onde ele costuma ser o jogador mais incisivo do time celeste, com outras péssimas, nas quais consegue errar absolutamente tudo que tenta. E isso irrita o torcedor.

Tecnicamente, seu ponto fraco é a finalização. Em muitas ocasiões David perdeu gols feitos, ou errou outros ligeiramente mais difíceis de forma bizarra. Um lance que o Cruzeirense não se esquece é quando ele saiu cara a cara com o goleiro Tiago Volpi, do São Paulo, na partida do primeiro turno do Brasileirão 2019 e perdeu o gol, tentando driblar o arqueiro tricolor. Se marcasse esse gol, o Cruzeiro provavelmente venceria a partida, que terminou empatada.

Outra deficiência de David é a tomada de decisão. Frequentemente o jogador tem as piores escolhas do que fazer com a bola e acaba “matando” ataques promissores.

Qualidades de David

Por outro lado, David é muito rápido e forte e frequentemente leva vantagem no “um contra um”. Sua jogadas de linha de fundo dificilmente são paradas pelos marcadores. O jogador também não costuma se esconder do jogo e geralmente é uma boa válvula de escape.

Como David pode se destacar?

Algumas das qualidade de David acabam sendo anuladas por seus defeitos. Um exemplo é a explosão física e facilidade no drible, do jogador, que acabam sendo prejudicadas por sua tomada de decisão e finalização ruins. Ele consegue vencer os marcadores mas, na hora de terminar a jogada, acaba errado. Isso irrita e muito o torcedor.

Uma forma que vejo de tentar corrigir esse defeito é mudando o jogador de lado. David costuma atuar pela esquerda. Ele jogando pela direita, não teria o movimento de cortar pra dentro e finalizar ou tentar um passe decisivo. Ele levaria pro fundo e cruzaria para a área, ou entraria na mesma, pela linha final e poderia tocar para trás. Por ganhar fácil da marcação, até mesmo em jogadas de linha de fundo no lado esquerdo, onde leva para  sua perna ruim, talvez fosse mais efetivo jogando na ponta direita. Suas principais qualidades seria exploradas e seus defeitos teriam menos oportunidades de aparecer.

David ajuda ou atrapalha o ataque do Cruzeiro?
David costuma tentar muito na partidas do Cruzeiro – Crédito da foto: Pedro Chaves/ Lightpress/ Cruzeiro

Além disso tudo, David abriria uma vaga na ponta esquerda para Pedro Rocha, que é um jogador da posição. Sempre que foi escalado de “falso 9” o camisa 32 não foi bem.

Claro, isso são suposições. Depende muito de treinamentos e de uma familiaridade com a posição. Mas é algo a se pensar. Mudar as vezes pode ser melhor que queimar o jogador que é, querendo ou não, um ativo do clube.

Leia também: Thiago Neves volta a ser decisivo

Deixe seu comentário

Etiquetas
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar