ColunasContrataçõesTop 10

As 10 piores contratações da história do Cruzeiro

As maiores decepções da torcida azul

Todo torcedor se empolga quando seu time faz uma contratação. Ainda mais, se ela for badalada, cara, com algum jogador renomado. Entretanto, nem sempre essa empolgação vale à pena. Durante seus 98 anos, o Cruzeiro esteve repleto de jogadores que chegaram com muita expectativa e não deram certo, verdadeiros flops. Por isso, o Mais Cruzeiro decidiu criar o Top 10 de piores reforços da história do clube. A lista se baseia em critérios como custo-benefício, expectativa e rendimento.

1 – Duvier Riascos

Após ficar conhecido no Brasil por perder uma penalidade máxima contra o Atlético-MG, na Libertadores 2013, no último lance do jogo, Riascos desembarcou no time azul contratado como esperança de suprir as saídas de Ricardo Goulart e Marcelo Moreno. A torcida já ficou receosa com a contratação pelo histórico infeliz do jogador e, além disso, ele não conseguiu dar retorno técnico ao Cruzeiro.

Após retornar de empréstimo do Vasco, em 2016, Riascos deu declaração polêmica, ofendendo o clube. Assim, após 16 jogos e apenas um gol, chegavam ao fim o ciclo do atacante na Toca da Raposa.

2 – Gonzalo Latorre

Uma das contratações mais caras da história do clube, o jogador nunca entrou em campo. É isso mesmo. Contratado de forma nebulosa, o uruguaio veio junto do pacote pela contratação de Arrascaeta. Por Latorre, o time celeste teve de desembolsar, ao Atenas-URU, cerca de 18,5 milhões de reais, em 2019, após ser processado na FIFA pela dívida. Para se ter ideia, o clube gastou mais no jovem atacante do que quando trouxe o zagueiro Dedé e o lateral Sorín, ídolos da torcida.

LATORRE
Gonzalo Latorre com o uniforme azul – Créditos da foto: Cruzeiro/Divulgação

3 – Edmundo

Polêmico, Edmundo veio ao Cruzeiro em 2001, de forma gratuita. O jogador tinha a missão de ajudar a Raposa a chegar ao título do Brasileirão, mas pouco fez. Após 15 jogos e seis gols, Edmundo foi dispensado do Cruzeiro ao errar, de forma displicente, penalidade máxima contra o Vasco, em jogo decisivo pelo campeonato nacional, em São Januário.

4 – Rivaldo

Após rescindir com o Milan, Rivaldo chegou ao atual campeão brasileiro Cruzeiro, em 2004. Com alta expectativa da torcida sobre uma grande dupla entre ele e Alex, o jogador não conseguiu repetir o excelente futebol que havia desempenhado há apenas dois anos atrás, na campanha do penta na Copa do Mundo de 2002. Depois da saída de Luxemburgo, Rivaldo pediu para deixar o clube, um mês depois de sua chegada. Ele jogou por 11 vezes e fez dois gols.

5 – O pacotão do Cruzeiro em 97

Depois do título da Libertadores de 1997, o time não fez bom Brasileirão e a base campeã se degradou. Para o Mundial, Zezé Perrella decidiu fazer quatro contratações de peso exclusivas para a competição, mas que não deram muito certo. No fim das contas, a Raposa perdeu por 2 a 0 para o Borussia Dortmund e ficou com o vice.

Para a ocasião, os jogadores contratados foram: Gonçalves, Donizete, Palácios e Bebeto.

6 – Brandão

O atacante ficou conhecido por fazer carreira na Europa, jogando em times famosos como Olympique de Marseille e Shakhtar Donetsk. Em 2011, o Cruzeiro vivia ótima fase e anunciou sua chegada. A torcida rapidamente se inflou de esperanças e via no atacante uma esperança de muitos gols. Todavia, após apenas seis jogos e zero gols, Brandão deixou o clube.

7 – Kunty Caicedo

Contratado pelo Cruzeiro em 2017, por 1 milhão e 500 mil euros, como esperança para a zaga, o equatoriano não durou muito na Raposa. Após poucos jogos e muitas falhas, o jogador deixou o time cruzeirense antes mesmo do fim do ano. Entretanto, o Cruzeiro ainda deve o Independiente Del Valle pela contratação do jogador.

Caicedo
Apresentação do zagueiro Caicedo – Créditos da foto: Washington Alves/Lightpress/Cruzeiro

8 – Matías Pisano

No ano de 2016, o Cruzeiro efetuou a contratação do baixinho e arisco Pisano, junto ao Independiente-ARG, por R$ 4 milhões. Porém, assim como Caicedo, ele não rendeu em campo e logo foi dispensado. Apesar disso, o atleta ainda rendeu uma dívida na FIFA para o Cruzeiro, junto ao time argentino. Essa cobrança foi abatida durante a negociação de Lucas Romero para o Rojo.

As 10 piores contratações da história do Cruzeiro
O argentino não se firmou no clube – Créditos da foto: Washington Alves/Lightpress/Cruzeiro

9 – Freddy Rincón

Consagrado no futebol brasileiro, o volante desembarcou em Belo Horizonte em julho de 2001. Apenas quatro meses depois, teve seu contrato rescindido. Ele fez somente 22 jogos e marcou um mísero gol.

As 10 piores contratações da história do Cruzeiro
Atualmente, Rincón é treinador – Créditos da foto: Reprodução/Instagram/@freddyrinconoficial

10 – Joffre Guerrón

Depois te ser sido um dos maiores destaques da campeã da América de 2008, LDU, o atacante equatoriano chegou ao Cruzeiro com muito hype. Porém, após duas fracas temporadas, foi dispensado pela diretoria celeste e não deixou saudades. Durante sua caminhada pelo time, fez 27 jogos e apenas quatro gols.

A lista tenta fazer um apanhado geral passeando pela história da Raposa. Porém, você concorda com os nomes? Adicionaria algum jogador?

Comente, torcedor!

Deixe seu comentário

Etiquetas
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar