AnálisesCampeonato Brasileiro

Há esperança? Em 2011, na mesma rodada, Cruzeiro se encontrava em situação pior

Na ocasião, time celeste se salvou do descenso na última rodada

A coisa está feia para o Cruzeiro. Após o empate com o lanterna Avaí, em casa, na última segunda (18), o time colocou sua torcida em pânico em relação a um muito possível rebaixamento. Agora, a equipe está em 16º, com 36 pontos e enfrentará uma duríssima sequência de jogos. Entretanto, em 2011, quando a equipe se safou da degola no último jogo, com uma goleada sobre o rival, a situação, nessa altura do campeonato era pior.

2011

Na altura, o time de Vagner Mancini tinha sido trucidado pelo Flamengo por 5 a 1 e ocupava a 17ª posição, com 34 pontos, assim como o Athletico Paranaense. Perto da Raposa, apenas o Ceará, em 16º lugar, com 35. Os times acima já tinham, pelo menos, cinco pontos a mais que o Cruzeiro.

Nos jogos seguintes, a equipe celeste enfrentou Internacional, Avaí, Athletico, Ceará e Atlético-MG. O desempenho foi bom. De 15 pontos, a Raposa levou nove. Empatando com CAP e Vozão, adversários diretos, além do Avaí. Ademais, o time bateu o Internacional e, na última rodada, goleou o Atlético-MG, por 6 a 1. Com esses resultados, o Cruzeiro chegou a 43 pontos e, com dois pontos a mais, rebaixou Athletico-PR e Ceará.

Há esperança? Em 2011, na mesma rodada, Cruzeiro se encontrava em situação pior
Classificação da 33ª e 38ª rodada – Créditos da foto: Futpédia

É possível olhar a situação de 2011 de forma esperançosa para 2019. Contudo, é preciso reconhecer que a tabela atualmente é muito mais complicada.

2019

Atualmente, a equipe está na boca do Z4, e o principais concorrentes são Flu, Botafogo e Ceará. Todavia, o que mais preocupa a torcida cruzeirense são os jogos do time na reta final. Em cinco partidas, o Cruzeiro enfrentará três times do G4: Santos, Grêmio e Palmeiras. Mas os outros dois duelos também não são fáceis. A equipe visita o forte mandante Vasco e recebe o CSA, clube que o time celeste não conseguiu bater no primeiro turno.

Se repetir o desempenho de 2011 e fazer nove pontos em 15, o Cruzeiro chegará a 44 pontos e, provavelmente, se livrará do rebaixamento. No turno, a equipe celeste alcançou a pontuação sete pontos nessas partidas, quando ainda era comandada por Rogério Ceni.

Ataque inofensivo para os jogos decisivos

O principal problema do time de Abel tem sido o sistema ofensivo. Enquanto a defesa está ajeitada e não sofre gols, o ataque é inoperante e não produz nada. Atualmente, nomes como David, Fred, Thiago Neves e Robinho são os principais alvos da torcida. Se quiser vencer os jogos necessários, o Cruzeiro terá de corrigir seu sistema de frente. Atualmente, a equipe marcou apenas 26 gols no campeonato, um número extremamente baixo. Em 2011, o time de Montillo terminou a competição com 48 tentos feitos.

Há esperança? Em 2011, na mesma rodada, Cruzeiro se encontrava em situação pior
Sistema ofensivo da Raposa marcou apenas dez gols no segundo turno – Créditos da foto: Bruno Haddad/Cruzeiro

Deixe seu comentário

Etiquetas
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar