Análises

Fred titular? Números não justificam utilização do atacante

Camisa 9 do Cruzeiro vive péssima fase e é um dos mais criticados pela torcida

Que o ano de 2019 do Cruzeiro é horrível não é novidade para ninguém. O time vive a maior crise administrativa e financeira de sua história, além de estar brigando contra um inédito rebaixamento no Brasileirão. E se a situação do time é tão ruim assim, muito se deve ao desempenho ofensivo, visto que desde a chegada de Abel Braga, a defesa celeste evoluiu bastante. No returno do Campeonato Brasileiro o time celeste ostenta duas marcas expressivas: a de melhor defesa e de terceiro pior ataque da competição, no período. E se o time não marca gols, muito se deve a péssima fase de um jogador: o atacante Fred.

Muito criticado pela torcida, já que apesar de ganhar um dos mais altos salários do Cruzeiro, não dá retorno em campo e mostra muito pouca entrega e participação nos jogos, Fred vive, talvez, o pior ano de sua carreira quando o assunto é desempenho.

Números de Fred

Apesar de ser o artilheiro da equipe no ano, com 21 gols em 51 jogos, numa média de pouco mais de um gol a cada três partidas, os números de Fred enganam. Dessas 21 bolas na rede, 12 foram marcadas no Campeonato Mineiro e quatro na fase de grupos da Copa Libertadores, quando o Cruzeiro passeou sobre adversários modestos. No Brasileirão são apenas cinco bolas na rede, sendo que três delas, as últimas três, foram de pênalti. O último gol de Fred com bola rolando saiu no dia 25 de agosto, na partida contra o CSA. Lá se vão quase três meses.

Desempenho

Apesar de serem muito importantes, números não são tudo. Há ainda o desempenho, entrega pelo time, funções mais “silenciosas”. E olhando por esse lado, a situação piora ainda mais. O jogador é um dos menos participativos do time, se posiciona mal, “briga” pouco e dificilmente acerta jogadas. Para enxergar isso com clareza é só fazer um exercício: você consegue se lembrar das últimas três finalizações, certas ou erradas, de Fred?

Nos últimos jogos, o jogador que mais se apresenta para finalizar, e que tem errado o alvo, é Thiago Neves. Mas, em muitas das oportunidades em que o 10 chega, era Fred quem devia aparecer. No último jogo contra o Avaí, TN10 errou uma chance clara, numa cabeçada. Mas quem deve chegar finalizando de cabeça é o armador ou o camisa 9? O que faz grandes atacantes e o que caracterizou o futebol de Fred sempre foi o grande senso de posicionamento. Se ele nunca sequer finaliza e se outros jogadores o fazem, a culpa talvez não seja da armação e sim do centroavante que sempre está escondido entre os zagueiros.

Fred titular? Números não justificam utilização do atacante
Se Fred e Sassá não dão conta, por que não Popó? – Crédito da foto: Vinnicius Silva/Cruzeiro

Outro fator relacionado a Fred que prejudica o time é que quando os meias, como Thiago Neves, tem que chegar para finalizar, eles se deslocam da função de armador para infiltrar e o time perde em criação. E, ao contrário de atletas como Barcos, o camisa 9 atual não volta para ocupar esse espaço ou ajudar na recomposição, para puxar a marcação e abrir espaços. Ele se mantém plantado. Se torna um a menos em campo.

O desempenho de Fred não justifica sua utilização e já passou da hora dele deixar o time titular. Se Sassá também não ajuda, talvez seja a hora de testar a base, que, se espera que pelo menos ame o clube e sue a camisa. Como diria um comediante e deputado: “Pior que tá, não fica!”.

Leia também: Vinícius Popó deveria ser testado no ataque do Cruzeiro?

Deixe seu comentário

Etiquetas
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar