ColunasTBT

TBT #7: Cruzeiro 6×2 Santos – Desbancando o time de Pelé

Relembre essa página heroica e imortal

Você sabe o que significa TBT? Não? TBT é a abreviação de throwback thursday, e é uma hashtag constantemente usada no Instagram. Às quintas, os usuários da rede social costumam postar fotos antigas usando #TBT, com o objetivo de recordar essas lembranças. Agora, o TBT estará presente no Mais Cruzeiro. Toda quinta-feira, iremos relembrar um jogo marcante da gloriosa história da Raposa.

Em 1966, Cruzeiro e Santos protagonizaram a decisão da Taça Brasil, maior torneio nacional de futebol da época. Sábado, os times se reencontram em momentos bem diferentes de outrora, e o Mais Cruzeiro, em mais um episódio do TBT, irá recordar este enorme feito da história celeste.

O contexto

Após bater times como Grêmio e Fluminense, o Cruzeiro, que ainda não havia vencido nenhum título no âmbito nacional, foi à grande final. Seu adversário, o Santos, na década já tinha vencido duas Libertadores, dois Mundiais, alguns troféus brasileiros e diversos estaduais. Além disso, o alvinegro contava com enormes nomes do futebol mundial, como Pepe, Dorval, Carlos Alberto Torres e, nada mais nada menos, que o Rei Pelé. Contudo, a Raposa possuía alguns jovens que tinham muito futebol no pé. Dirceu Lopes, Tostão e companhia portavam extremo espetáculo a mostrar a todo o país.

TBT #7: Cruzeiro 6x2 Santos - Desbancando o time de Pelé
O mágico time de 66 – Créditos da foto: Superesportes

O jogo

A partida, ocorrida no Mineirão, foi válida pela ida da grande final, mas praticamente decidiu o campeonato. Afinal, o Cruzeiro amassou o esquadrão do litoral paulista. No duelo, a Raposa não tomou conhecimento do Peixe e foi avassaladora. No primeiro tempo, o time de Dirceu Lopes já havia feito cinco tentos. Na última etapa, o Santos esboçou reação, fez dois gols, mas parou por aí. Por fim, o time celeste marcou mais um gol e decretou o 6 a 2.

Início relâmpago

Aos cinco minutos do primeiro tempo, a Raposa já ganhava por 2 a 0. Pois é, o primeiro gol foi marcado contra, pelo defensor Zé Carlos, do Santos. Poucos minutos depois, Natal recebeu passe açucarado de Dirceu e encheu o pé.

Tostão deixa o seu

Aos 41 minutos da primeira etapa, o camisa 8 da Raposa cravou seu nome na súmula. Em jogada pela direita, Natal alçou Dirceu na área, que recebeu e foi derrubado. O juiz Armando Marques assinalou penalidade máxima. Na marca da cal, Tostão deslocou o goleiro Gilmar e marcou mais um para o Cruzeiro.

Três vezes o Príncipe

Na noite, o melhor camisa 10 foi Dirceu Lopes e não Pelé. Aos 20 anos, o Príncipe de Pedro Leopoldo ofuscou o Rei e foi o grande nome da noite, com três gols.

No primeiro, o jogador recebeu na entrada da área e fuzilou, sem chances para o goleiro santista. Depois, aproveitou bola rebatida e chutou no cantinho para marcar seu segundo gol. Mais à frente, no sexto gol celeste, o Príncipe encontrou a meta adversária aberta e arqueiro rival no chão, e só teve o trabalho de empurrar pro fundo do gol.

TBT #7: Cruzeiro 6x2 Santos - Desbancando o time de Pelé
Jogo foi um show cruzeirense – Créditos da foto: Cruzeiro

Os tentos alvinegros

Para o Peixe, Toninho Guerreiro marcou os únicos dois gols, logo no início do segundo tempo.

Rei Pelé expulso

Com 30 minutos do segundo tempo, o zagueiro cruzeirense Procópio e Pelé entraram em confronto verbal. Rapidamente, o polêmico árbitro Armando Marques botou os dois na rua. Em entrevista após o jogo, o maior jogador da história do futebol disparou contra o juiz, dizendo que Armandinho sempre o expulsava para aparecer e ganhar fama.

A sequência

Dias depois, o Cruzeiro visitou o Santos, no Pacaembu, com a promessa de encontrar uma vingança alvinegra. Entretanto, mais uma vez, o time celeste derrubou o Peixe. Com gols de Tostão, Dirceu e Natal, a Raposa aplicou uma virada épica ao clube da Vila Belmiro e levou o grande título para Belo Horizonte.

TBT #7: Cruzeiro 6x2 Santos - Desbancando o time de Pelé
Elenco e torcida fazem a festa nas ruas de BH – Créditos da foto: Cruzeiro

Reconhecimento no Século XXI

Em 2010, uma ação da CBF decretou os times vencedores das edições da Taça Brasil e do Robertão como campeões brasileiros. A decisão fez com que o Cruzeiro, na altura, se tornasse bicampeão do Brasileirão, com os títulos de 66 e 2003. Agora, nove anos depois, a Raposa venceu mais dois troféus, em 2013 e 2014, e é, atualmente, tetracampeã brasileira.

Ficha Técnica

Cruzeiro 6×2 Santos

Local: Mineirão, Belo Horizonte (MG)
Data: 30 de novembro de 1966 (domingo)
Árbitro: Armando Marques
Cartões vermelhos: Procópio (Cruzeiro); Pelé (Santos)
Gols: Cruzeiro: Zé Carlos, contra, ao um do primeiro tempo, Natal, aos cinco minutos do primeiro tempo, Dirceu Lopes aos 20, 39 do primeiro tempo, e 27 do segundo tempos, Tostão, aos 41 do primeiro tempo. Santos: Toninho Guerreiro, aos seis e dez do segundo tempo.

Cruzeiro: Raul, Pedro Paulo, Procópio, William e Neco; Piazza, Tostão e Dirceu; Natal, Evaldo e Hilton Oliveira. Técnico: Airton Moreira.

Santos: Gilmar, Carlos Alberto Torres, Mauro, Oberdan e Zé Carlos; Zito, Lima e Dorval; Toninho Guerreiro, Pepe e Pelé. Técnico: Lula.

 

Deixe seu comentário

Etiquetas
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar