ColunasPor onde anda

Por onde anda #9: Bruno Rodrigo, o cabeça de míssil

Jogador foi peça fundamental no bicampeonato brasileiro em 2013 e 2014

Sabe aquele personagem que passou pelo seu time e deixou saudades (ou não)? Que protagonizou ou pelo menos participou de momentos importantes da história de seu clube, sejam eles bons ou ruins? Pois bem. O Mais Cruzeiro, com a coluna “Por onde anda”, irá relembrar algumas dessas personalidades que passaram pela Raposa. Toda semana iremos falar da trajetória do escolhido no clube, fatos interessantes em sua carreira e por onde ele anda, atualmente. No nono episódio da série, iremos relembrar a caminhada do zagueiro-artilheiro Bruno Rodrigo no Cruzeiro.

Um zagueiro que fazia o simples. Essa era Bruno Rodrigo. Com esse estilo, acumulou grandes times, boas temporadas e enormes títulos durante sua carreira como jogador profissional. No Cruzeiro, viveu seu auge, em 2013 e 2014.

Carreira

Revelado pelo Jalesense, clube do interior paulista, onde o defensor jogou durante sua juventude, Bruno logo rumou à tradicional Portuguesa de Desportos. Em 2006, fez sua estreia pelo time rubro-verde, em que permaneceu até 2009. Após o período, se destacou e foi negociado com o Santos, onde esteve no elenco vitorioso que contava com Neymar, Robinho e Ganso. Pelo Peixe, venceu títulos estaduais, Copa do Brasil e Libertadores, e até foi titular na final do Mundial de 2011, na derrota por 4 a 0, para o Barcelona.

Por onde anda #9: Bruno Rodrigo, o cabeça de míssil
Bruno Rodrigo tenta parar Messi – Créditos da foto: Leandro Amaral/Santos FC

Depois de três temporadas pelo time santista, não renovou e chegou ao Cruzeiro, lugar em que foi muito feliz. Em quatro temporadas, o cabeça de míssil, como era carinhosamente chamado pela torcida celeste, colecionou gols, marcas históricas e títulos. Contudo, no final de 2016, o ciclo chegou ao fim e ele rumou ao Grêmio. No Imortal, foi reserva da excelente dupla Geromel e Kannemann, e não atuou tanto. Porém, ainda assim, conseguiu vencer, mais uma vez, a Copa Libertadores.

Cruzeiro

Quando chegou, Bruno Rodrigo não tão conhecido pela torcida azul, mas com poucos jogos já se destacou e garantiu titularidade. Em 2013, viveu seu melhor ano, fazendo 46 jogos e marcando três gols, ele ajudou muito o clube celeste a se sagrar campeão brasileiro. Além disso, foi peça fundamental na adaptação de Dedé. No ano seguinte, vinha fazendo outra bela temporada, mas começou a sofrer com lesões e acabou perdendo a vaga no time titular. Em 2014, o Cruzeiro venceu os campeonatos Mineiro e Brasileiro.

Durante os anos de 2015 e 2016, o Cabuloso não conseguir repetir o sucesso dos dois anos anteriores, e Bruno também decaiu. Contudo, ele ainda conseguiu colaborar nas arrancadas que a Raposa deu nas duas temporadas.

Bruno Rodrigo se despediu da equipe celeste na última rodada de 2016, em uma vitória por 3 a 1 sobre o Corinthians. O episódio foi marcado por muita emoção e gratidão por parte dele, dos atletas, diretoria e torcida.

Zagueiro artilheiro

Nos quatros anos de Cruzeiro, ele conseguiu alçar o top 10 de zagueiros que mais marcaram gols pelo Cruzeiro. Mais especificamente, na quarta colocação, atrás apenas de Léo, Cris e Geraldão.

Aposentadoria

No fim de 2017, após deixar o Grêmio, o defensor pendurou as chuteiras. Com apenas 32 anos, Bruno Rodrigo disse ter optado por essa escolha por não se sentir mais apto a jogar em alto nível.

Dupla com Dedé dentro e fora dos gramados

Em 2013, os zagueiros protagonizaram uma das grandes parcerias defensivas de todos os tempos do Cruzeiro. Os dois se completavam e, além disso, ofereciam uma bateria aérea de respeita. Contudo, o tempo passou e os caminhos mudaram, mas a dupla seguiu junta.

Pois é. Amantes da pescaria, eles sempre se juntam, quando possível, para prática de pesca esportiva.

Por onde anda #9: Bruno Rodrigo, o cabeça de míssil
Os camisas 4 e 26 reunidos novamente – Créditos da foto: Arquivo pessoal/Superesportes

Dias atuais

Vivendo na tranquila Três Lagoas (MT), com a esposa e filhos, Bruno Rodrigo encontrou na pesca um belo caminho após a bola. Em 2018, em entrevista ao site Superesportes, o ex-jogador afirmou que grandes competições de pescaria sempre são realizadas na cidade em que ele vive. Mais do que isso, Bruno já conseguiu até levantar títulos na nova modalidade.

Hoje, vive feliz fora da loucura das grandes metrópoles, curtindo a vida, a tranquilidade e a família.

Deixe seu comentário

Etiquetas
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar