Notícias

Contratado para salvar o Cruzeiro, Adílson Batista acumula rebaixamentos na carreira

Treinador participou de diversas campanhas que resultaram em quedas à Série B

Novo técnico da Raposa, Adílson Batista não possui um currículo muito positivo. Fato é que se excluirmos o excelente trabalho pelo Cruzeiro, no fim da década passada, sobram poucos aspectos positivos. Prova disso é o número de rebaixamentos em que treinador se envolveu: seis. Essa marca o deu o título de treinador mais rebaixado da história dos pontos corridos, após levantamento feito pelo Globoesporte.com, no fim de 2018. Relembre os trabalhos.

Grêmio – 2004

Na ocasião, Batista foi o treinador que iniciou a temporada gremista. Ele estava prestigiado pelo trabalho que, em 2003, livrou o tricolor gaúcho da degola. No ano seguinte, esteve na equipe de janeiro até junho. Pelo Brasileirão, começou a campanha e fez apenas oito jogos naquele ano terrível que culminou no rebaixamento, pela segunda vez na história, do imortal de Porto Alegre.

Trabalhou no tricolor gaúcho em 2003 e 2004 – Créditos da foto: RBS

Athletico Paranaense – 2011

Rival do Cruzeiro na fuga contra a Série B em 2011, o Furacão também chegou a ser comandado por Adílson Batista na trágica temporada. Na altura, o técnico substituiu Geninho, em junho, e se demitiu em junho, após derrota para o Bahia. Pelo clube da Arena da Baixada, o comandante fez seis jogos.

Atlético Goianiense – 2012

Pelo clube goiano, Adílson teve uma passagem relâmpago. Esteve na equipe em apenas dois jogos do Campeonato Brasileiro, e foi demitido após início ruim em campanha que terminou no descenso do Dragão.

Vasco – 2013

No clube cruzmaltino, o ex-zagueiro foi contratado para a reta final, substituindo Dorival Jr., com expectativa de que pudesse salvar o Vasco. Contudo, o insucesso era certo. Com sete jogos restantes, Adílson não conseguiu evitar o segundo rebaixamento vascaíno e a equipe rumou à segunda divisão.

Contratado para salvar o Cruzeiro, Adílson Batista acumula rebaixamentos na carreira
Em 2013, o Vasco fez péssima campanha – Créditos da foto: Marcelo Dias/Agência Estado

Joinville – 2015

Indiscutivelmente, o JEC foi um dos piores times dos últimos tempos do Campeonato Brasileiro, e Adílson Batista também esteve lá. Em sua passagem pelo time catarinense, foi contratado em junho e foi demitido em julho. Fez apenas 10 partidas pelo tricolor.

América-MG – 2018

Com 19 jogos, AB foi o técnico que mais treinou o Coelho no Brasileirão de 2018. Na ocasião, desembarcou em BH no final do primeiro turno e foi demitido nas últimas rodadas do campeonato, após derrota para o rebaixado Paraná. Em seu trabalho pelo time americano, até começou bem, mas depois caiu drasticamente, resultando no rebaixamento do América.

Contratado para salvar o Cruzeiro, Adílson Batista acumula rebaixamentos na carreira
Treinador até conseguiu vencer bons jogos pelo América, mas não evitou a queda – Créditos da foto: Mourão Panda/América

O que 2019 reserva a Adílson Batista?

Provavelmente, mais um rebaixamento. Isso porque o treinador esteve nos dois times mais próximos da queda, Cruzeiro e Ceará, Pela Raposa, chegou na última semana e fará três jogos com a tentativa de salvar o time azul. No Vozão, chegou no começo do segundo turno, para substituir Enderson Moreira, e foi demitido na última semana.

Agora, a torcida celeste espera que o nome de Adílson Batista esteja envolvido no descenso alvinegro, e que ele salve o Cruzeiro.

Deixe seu comentário

Etiquetas
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar