Especial

De herói a vilão: a trajetória de Thiago Neves pelo Cruzeiro

Camisa 10 foi afastado por Zezé Perrella e não deve mais atuar pelo clube

Contratado em 2017, meia atuou pela Raposa por três temporadas, fez 153 jogos e marcou 41 gols. Além disso, venceu duas Copas do Brasil e dois Campeonatos Mineiros. Contudo, após uma série de episódios desgastantes, o ciclo de Thiago Neves no Cruzeiro chegou ao fim, na última segunda-feira (02), quando foi afastado pela direção do clube.

2017: a chegada e ano espetacular

Após um 2016 de insucessos, a Raposa iniciava um promissor projeto para o ano de 2017. Com a manutenção do técnico Mano Menezes e algumas contratações pontuais, a intenção era brigar por títulos. Contudo, faltava algo: a cereja do bolo. E ela veio logo na festa de aniversário de 96 anos do clube. Anunciado pelo então presidente azul, Gilvan de Pinho Tavares, Thiago Neves se tornava o novo jogador do Cruzeiro.

Fato é que o, na altura, camisa 30 demorou alguns jogos para decolar. Porém, quando engrenou, não parou mais. Gols, assistências e boas atuações foram virando rotina e Thiago Neves caiu, de vez, nas graças da torcida celeste.

Extremamente decisivo na conquista da Copa do Brasil, TN30 marcou gols contra São Paulo e Palmeiras, além de ter convertido os penâltis derradeiros contra Grêmio e Flamengo, na semi e final, respectivamente. Com o título, o jogador terminou a ótima temporada com 57 jogos e 17 gols, além de ter sido vitorioso em diversas premiações do Campeonato Brasileiro.

De herói a vilão: a trajetória de Thiago Neves pelo Cruzeiro
Mesmo escorregando, TN marcou a penalidade contra o Fla – Créditos da foto: Lucas Figueiredo/Cruzeiro

2018: ainda bom, mas nem tanto

Apesar de ter continuado decisivo, ou até mais, Thiago claramente caiu de rendimento em seu segundo ciclo no time celeste. Entretanto, foi extremamente fundamental na campanha da conquista do Mineiro, onde marcou o gol do título. No bicampeonato da Copa do Brasil, cravou tentos importantes contra Santos e, na final, Corinthians. E, mesmo sem o título, Neves também apareceu bem na Libertadores, principalmente em jogos contra Vasco, Racing e Flamengo.

De herói a vilão: a trajetória de Thiago Neves pelo Cruzeiro
Neves e a taça da Copa do Brasil de 2018 – Créditos da foto: Vinnicius Silva/Cruzeiro

Todavia, suas atuações já não eram tão boas quanto no anterior. Talvez 2018 tenha sido um pequeno aperitivo do que 2019 reservava ao atleta.

2019: renovação, camisa 10 e tragédias

Após muita negociação, Thiago e Cruzeiro finalmente chegaram a um acordo e o jogador renovou seu contrato com a Raposa por mais duas temporadas. Na altura, ele esteve muito próximo de vestir a camisa do Grêmio. Além do novo vínculo, ele ainda recebeu  a camisa 10, que era de De Arrascaeta, que rumou ao Flamengo.

De herói a vilão: a trajetória de Thiago Neves pelo Cruzeiro
Atleta não fez jus à camisa 10 azul – Créditos da foto: Cruzeiro

Depois de tudo isso, a expectativa era de o novo camisa 10 estivesse de gás novo e continuasse no bom ritmo dos anos anteriores. Entretanto, o mundo do futebol surpreende. Contrariando toda a expectativa do começo do ano, 2019 foi uma verdadeira catástrofe para Thiago e ao Cruzeiro.

São diversos os episódios que minaram a passagem de Thiago Neves pelo Cabuloso e que fizeram ele sair do posto de ídolo da torcida, para grande vilão do eminente rebaixamento azul.

Primeiro, logo no início da temporada, TN10 sofreu uma lesão na panturrilha que o afastou dos gramados por quase todo o Campeonato Mineiro. Curiosamente, foi o melhor período do Cruzeiro na temporada.

Festas e noitadas

Em 2019, o jogador extrapolou no quesito. Diversos vídeos e fotos expuseram as tantas e tantas saídas do meia na noite belorizontina. A torcida cruzeirense, por sua vez, se mostrava muito chateada pela falta de comprometimento do camisa 10.

Declarações irresponsáveis

Durante o ano, TN acumulou infelizes atitudes. A primeira, no começo de 2019, ao “caçoar” do rebaixamento do rival Atlético usando o trágico crime ambiental que afetou Brumadinho. A repercussão, com razão, foi totalmente negativa. A segunda, em novembro, com o Cruzeiro em crise, ele afirmou ter vontade de jogar no Corinthians no futuro, um discurso que pegou muito mal junto a Nação Azul.

De herói a vilão: a trajetória de Thiago Neves pelo Cruzeiro
Neves polemizou e gerou revolta após post – Créditos da foto: Reprodção/Instagram

Atritos com Rogério Ceni

Quando o novo técnico chegou, Thiago parecia estar satisfeito. Contudo, após alguns jogos, começou a ser reserva e as rusgas apareceram. Informações dão conta que a relação dos dois não foi boa, e que Neves, após ser banco contra o Ceará, no primeiro turno, foi o pivô da saída de RC.

Crise em campo, penâlti perdido e edema na coxa

Após uma pequena melhora com Abel Braga, o Cruzeiro voltou a passar maus bocados no Brasileirão. Com más atuações, Neves não conseguia ajudar a equipe, até que teve a chance perfeita. Um penâlti diante o CSA, mas ele desperdiçou a oportunidade. Há quem diga que tenha sido de propósito, devido aos atrasos de salários por parte do clube.

Depois do trágico episódio, a Raposa anunciou lesão na coxa de Thiago, um edema. Porém, dois dias depois, o jogador foi visto no evento Tardezinha Surreal, curiosamente realizado no Mineirão.

Afastamento oficial

Com mais um absurdo cometido pelo meia, Zezé Perrella, gestor de futebol do clube, foi às redes sociais do Cruzeiro anunciar que Thiago Neves não vestiria mais a camisa cruzeirense. A decisão ocorreu após uma onda de críticas da inconformada torcida celeste ao ato do atleta. Para Zezé e a China Azul, Thiago desrespeitou a história e a camisa celeste.

Provavelmente, o fim de uma era.

Do céu ao inferno

Até pouco tempo, Thiago Neves era aclamado pela torcida. Decisivo, identificado, irreverente. Todos esses adjetivos fizeram com que o cruzeirense desenvolvesse um carinho especial pelo jogador. Contudo, uma série de ações irresponsáveis do jogador fizeram isso acabar. Hoje, é considerado um dos principais vilões pelo provável descenso do time da Toca.

Thiago Neves jogou sua história no lixo.

Deixe seu comentário

Etiquetas
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar