Início Análises Do 1 ao 11: veja análise dos jogadores do Cruzeiro contra a...

Do 1 ao 11: veja análise dos jogadores do Cruzeiro contra a Chapecoense

O Cruzeiro voltou a vencer no Brasileirão Série B ao bater a líder isolada Chapecoense por 1 a 0, fora de casa, com gol de falta de Rafael Sóbis. O resultado serviu para, além dos três pontos, dar confiança ao time celeste e abrir ainda mais vantagem em relação a zona de rebaixamento para a Série C.

O Mais Cruzeiro publica após toda partida, as notas dos jogadores do Cruzeiro, dadas pelo site especializado SofaScore, mas a partir de agora, com a coluna “Do 1 ao 11”, iremos publicar nossas próprias análises individuais de cada jogador e do treinador.

Fábio

Maic Costa: O goleiro foi pouco exigido no jogo e quando precisou intervir, trabalhou bem, sem dar sustos no torcedor do Cruzeiro.

Lucas Barbosa: Em apenas uma oportunidade, a Chapecoense atingiu a meta de Fábio. Quando isso ocorreu, ele defendeu sem problemas.

Raúl Cáceres

Maic Costa: Mais uma atuação segura do lateral paraguaio que cada vez mais cai nas graças da torcida. O Cruzeiro pouco sofreu do seu lado e ele ainda apoiou com qualidade, se destacando no bom aproveitamento das bolas longas.

Lucas Barbosa: O lado direito é sempre uma fortaleza para a Raposa, seja defensiva ou ofensivamente. Boa partida de Raúl Cáceres, que vem fazendo ótima temporada.

Do 1 ao 11: veja análise dos jogadores do Cruzeiro contra a Chapecoense
Destaque na Série B, Raúl Cáceres fez mais uma excelente partida – Foto: Igor Sales/Cruzeiro

Manoel

Maic Costa: Assim como boa parte da defesa celeste, Manoel foi seguro e teve poucos erros no jogo, dando a solidez necessária para o Cruzeiro buscar o ataque sem sofrer sustos no setor defensivo.

Lucas Barbosa: Grande referência cruzeirense no ano, o camisa 32 fez nova boa partida. Seguro, sempre correspondeu ao ser exigido.

Ramon

Maic Costa: De volta à zaga após alguns jogos como volantes, Ramon fez ótima partida, com destaques na interceptações e nos passes, os quais errou poucos, incluindo as bolas longas, em sua maioria precisas.

Lucas Barbosa: Em sua posição de origem, o ex-Vitória fez uma bela partida. Muito firme, trouxe bastante segurança ao torcedor celeste.

Patrick Brey

Maic Costa: Uma atuação pavorosa do jogador, ruim até para seus parâmetros que já são baixos. O ala tem graves deficiências técnicas e lapsos de concentração que podem custar caro ao Cruzeiro se aproveitadas pelos adversários. Na partida contra a Chapecoense foram pelo menos três erros graves que poderiam ter resultado em gols adversários. Com o retorno de Matheus Pereira, Patrick Brey deve voltar ao banco de reservas.

Lucas Barbosa: Mais uma vez, o lateral causou calafrios ao torcedor cruzeirense. Defensivamente, o atleta tem sérias dificuldades e pena quando o assunto é posicionamento. Imobilizada pelo Cruzeiro, a Chape investiu todas sua jogadas em cima de Brey, que aparentava estar completamente zonzo.

Adriano

Maic Costa: Ganhando mais uma chance no time titular, ao meu ver, Adriano agradou. Alto e bastante físico, o jogador foi bem na marcação e saída de bola, acertando um bom número de passes. Sua contribuição ofensiva ainda é bem baixa.

Lucas Barbosa: Mais uma vez elogiado por Felipão, Adriano deu mais uma demonstração que, pelo menos, é uma opção melhor do que Jádson, que entrou contra o Figueirense. O camisa 15 preencheu bem os espaços e fez uma atuação boa.

Jadsom

Maic Costa: Jadsom é chamado “coringa” do time. O jogador está presente em todos os setores do campo e o mapa de calor dele mostra isso. Ao contrário de Adriano, que apareceu mais na sua intermediária defensiva, o camisa 16 esteve em, literalmente, todos os setores e lados do campo. Seu preenchimento de espaços é fundamental como opção de passe e marcação, ao meu ver. Ainda sofreu a falta que resultou no gol celeste.

Mapa de calor do volante Jadsom
Mapa de calor mostra impressionante movimentação de Jadsom – Foto: SofaScore/Reprodução

Lucas Barbosa: Jadsom tem um domíno diferenciado e isso o favorece muito quando está com a posse de bola. É bom jogador e mais uma vez foi bem.

William Pottker

Maic Costa: Discreto na partida, William Pottker apesar de buscar jogo não foi efetivo e não criou grandes chances para o Cruzeiro.

Lucas Barbosa: Não esteve nos seus melhores dias.

Régis

Maic Costa: Mais uma partida apagadíssima do camisa 10, que se movimentou bastante mas não criou muito, apesar de até ter conseguido bons passes. Além disso perdeu um gol feito. Sua titularidade parece assegurada muito pela falta de opções no elenco.

Lucas Barbosa: Régis é, atualmente, um dos nomes mais cobrados pelo torcedor cruzeirense, e não é à toa. Há alguns jogos, o meia tem tido muitas dificuldades para criar oportunidades para o ataque azul, e não justifica sua titularidade.

Airton

Maic Costa: Grande destaque do Cruzeiro nesta Série B, Airton teve atuação apagada. O camisa 77 tentou muitas jogadas individuais e passou pouco a bola, além de não ter êxito nas poucas finalizações que tentou.

Do 1 ao 11: veja análise dos jogadores do Cruzeiro contra a Chapecoense
Mesmo não atuando tão bem quanto de costume, Airton ainda deixou Régis na cara do gol – Foto: Igor Sales/Cruzeiro

Lucas Barbosa: Airton esteve à baixo de suas melhores noites.

Rafael Sóbis

Maic Costa: Jogando na função de “falso 9”, o veterano atacante foi o jogador mais perigoso do Cruzeiro, terminando com o gol da vitória, marcado em cobrança de falta, e ainda deixando uma bola na trave. Sóbis se movimentou bastante, finalizou muito e se credenciou para seguir no time titular.

Lucas Barbosa: Sóbis teve boa movimentação, mas foi com a bola parada que ele se destacou de forma mais incisiva. Além do gol, mandou uma cobrança na trave. Boa partida.

Felipão

Maic Costa: A mudança de esquema de Felipão, que jogou sem um centroavante fixo, deu resultado e o Cruzeiro esteve seguro em todo o encontro contra o líder isolado do campeonato. O time atacou com consciência e não se expôs. Uma excelente partida, que provou uma análise correta do adversário.

Lucas Barbosa: Masterclass de Luiz Felipe Scolari. O treinador soube encarar a líder do campeonato em um jogo de paciência. Na base da estratégia, brecou a criatividade da Chapecoense e soube administrar a partida.

Suplentes

Entrando no segundo tempo, o volante Filipe Machado, os pontas Arthur Caíke e Welinton, e o atacante Marcelo Moreno, tiveram poucos minutos em campo e não participaram efetivamente para serem avaliados.

Maic Costa

Melhor em campo: Rafael Sóbis
Pior em campo: Patrick Brey
Pontos positivos: Mudança de esquema e partida de Adriano
Ponto negativo: Inconsistência de Régis

Lucas Barbosa

Melhor em campo: Rafael Sóbis
Pior em campo: Patrick Brey
Pontos positivos: Atuação coletiva
Ponto negativo: Patrick Brey

Veja também: Cruzeiro tem quatro gols de falta em 2020, três deles na Série B; relembre-os

Deixe seu comentário
Deixe seu comentário