Início Especiais Como estão os "vilões" do rebaixamento do Cruzeiro após um ano?

Como estão os “vilões” do rebaixamento do Cruzeiro após um ano?

Há exatos 365 dias, o Cruzeiro tinha seu rebaixamento à Série B confirmado e vivia o momento mais duro de sua extensa história. A derrota para o Palmeiras, por 2 a 0, foi apenas o golpe final em um time que já cambaleava há muito tempo. Ao longo da campanha, muitos personagens foram apontados como vilões do calvário azul. Onde estão eles?

Quando o assunto é a queda celeste, vários nomes se destacaram negativamente. Desde a direção, com Wagner Pires, Itair Machado, Sérgio Nonato e Zezé Perrella, até técnicos e jogadores, como Mano Menezes, Thiago Neves, Dedé e Fred.

Quanto aos membros da cúpula executiva, muito dinheiro gasto e acusações de corrupção rodearam os cartolas. Wagner, Itair e Sérgio Nonato comandaram o Cruzeiro por dois anos e conseguiram levar o clube ao caos financeiro e político. Zezé, outrora vencedor, chegou no decorrer como salvador, mas apenas conseguiu ser ridicularizado, com o eterno áudio “Fal, Zezé”.

No campo, decepções não faltaram. Mano, não repetiu o bom trabalho de outros anos, e outros treinadores também não deram certo. Os jogadores, não mais em lua de mel com a torcida, foram acusados de corpo mole e de “panelarem”, como Thiago Neves e Dedé.

Hoje, o Cruzeiro vive a luta da Série B, mas os protagonistas do descenso, também não estão em seus melhores dias.

Wagner, Itair e Serginho estão sendo investigados por seus atos no clube, mas ainda não foram punidos como a torcida espera. No entanto, convivem com a hostilidade dos cruzeirenses pelas ruas de BH. Perrella, por sua vez, se afastou do futebol.

Dos técnicos que passaram pelo clube em 2019, todos tomaram rumos diferentes no futebol. Mano está no Bahia, onde faz trabalho regular. Ceni treina o Flamengo, mas vem tendo dificuldades. Abel, sem o menor prestígio, voltou ao Inter. Adilson está desempregado.

Dentre os jogadores, poucos estão tendo sucesso em 2020, como são os casos de Orejuela e David, que estão bem em Grêmio e Fortaleza, respectivamente. Figura central da crise técnica do Cruzeiro, Thiago Neves foi mal no Grêmio e vive má fase no Sport. Dedé não entra em campo há mais de um ano e Edílson está no Avaí, também na Série B. Fred atua sem muito brilho no Fluminense.

Até mesmo Léo e Henrique, hoje na Raposa, já não são mais tão bem quistos pelos torcedores azuis. Fábio, por outro lado, manteve sua imagem conservada, assim como Cacá.

Se por um lado, o Cruzeiro foi colocado na situação depreciativa de jogar a Série B, por outros, os “agentes do caos” também não vivem grandes momentos. Todavia, o cruzeirense ainda espera que quem deixou seu clube na lama, seja punido.

Veja mais: Após 22 jogos saindo do banco, Welinton pode fazer seu primeiro jogo como titular do Cruzeiro

Deixe seu comentário
Deixe seu comentário