Início Análises Estatísticas Cruzeiro fecha 2020 com artilheiros improváveis: Maurício, Manoel e Rafael Sóbis

Cruzeiro fecha 2020 com artilheiros improváveis: Maurício, Manoel e Rafael Sóbis

O ano de 2020 foi talvez o pior da história do Cruzeiro. Eliminado precocemente da Copa do Brasil e do Campeonato Mineiro e virtualmente sem chances de acesso a Série A do Brasileirão, a Raposa viu o ano que antecedia seu centenário se desenhar de uma forma inesperada e trágica. E muito dos maus resultados do clube no ano se devem ao péssimo desempenho ofensivo da equipe, que teve três artilheiros improváveis na temporada: o meia Maurício, o zagueiro Manoel e o atacante Rafael Sóbis.

A surpresa com a artilharia dos três atletas nada tem a ver com qualidade dos jogadores, visto que todos tem qualidade, mas sim nas situações em que se configuraram suas artilharias. Primeiro, o baixo número de gols assusta: foram cinco para cada um deles, numa temporada com 48 jogos, segundo dados do site Cruzeiropédia.

Outro fator que assusta é a situação dos jogadores. Primeiro, o meia Maurício, que mesmo deixando o Cruzeiro no final de outubro e perdendo boa parte dos jogos do clube na temporada ainda se manteve na liderança do quesito, levando certo tempo para ser alcançado. A maioria dos cinco gols do atleta foram marcados no início do ano, sendo quatro assinalados no Campeonato Mineiro e um na Série B. A pouca idade do jovem também impressiona, com 19 anos, sendo meia, e liderando tal estatística.

Já Manoel, apesar de zagueiro, fez cinco gols pelo Cruzeiro na Série B e alcançou Maurício. Chegando para a disputa da segunda divisão, já no meio da temporada, o experiente defensor disputou 22 jogos pela Raposa em 2020, sendo 21 na “B” e um na Copa do Brasil, tendo uma média de gols superior a quase todo o elenco0 estrelado.

O terceiro nome é Rafael Sóbis, que retornou ao Cruzeiro já no final do ano e mesmo disputando somente dez jogos pela Raposa, todos na Série B, fez cinco gols e se tornou o artilheiro da equipe. Inclusive, com apenas oito partidas ele já tinha alcançado o número.

Cruzeiro fecha 2020 com artilheiros improváveis: Maurício, Manoel e Sóbis
Rafael Sóbis e Manoel marcaram 27,7% dos gols do Cruzeiro na Série B – Foto: Gustavo Aleixo/Cruzeiro

Nomes como Marcelo Moreno, Sassá e William Pottker foram as principais decepções, tendo marcado juntos apenas quatro gols, mesmo com um número de jogos comparável aos dos três artilheiros. Moreno, por exemplo, disputou 29 partidas, incluindo estadual e Copa do Brasil, e marcou apenas três vezes. Dos artilheiros celeste, só Maurício jogou mais que ele, fazendo 32 jogos em 2020.

Veja também: Nove pontos perdidos nas últimas quatro rodadas colocariam o Cruzeiro no G4

Deixe seu comentário
Deixe seu comentário