Início Notícias Régis dando adeus e Orejuela de volta: o dia 1 do Cruzeiro

Régis dando adeus e Orejuela de volta: o dia 1 do Cruzeiro

Na véspera do centenário do Cruzeiro e no primeiro dia de 2021, os bastidores foram quentes no clube celeste no que diz respeito a entrada e saída de jogadores. Por um lado, o meia Régis deixou a Raposa após o encerramento do seu vínculo de empréstimo. Do outro, o lateral-direito colombiano Luis Orejuela teve seu contrato com o time mineiro reativado, após o Grêmio não conseguir acertar sua compra.

Régis

A situação de Régis pode ser explicada a partir de dois pontos, apesar do Cruzeiro não ter se posicionado a respeito dos motivos da não-extensão do vínculo do jogador. O primeiro é que Régis tinha contrato de empréstimo com a Raposa até 31/12/2020, com possibilidade de extensão. Mas atualmente, o clube mineiro encontra-se punido pela Comissão Nacional de Resolução de Disputas (CNRD) da CBF por possuir uma dívida com o clube PSTC referente a um repasse relativo à venda do zagueiro Bruno Viana ao futebol europeu. Estando assim, impossibilitado de registrar novos jogadores.

O segundo ponto é a reformulação iminente do Cruzeiro para a temporada 2021. O time celeste virtualmente confirmou sua presença na próxima Série B, tendo poucas chances de queda e ínfimas possibilidades de acesso à Série A. Por isso, o treinador Felipão e o departamento de futebol já começam a pensar na equipe da temporada seguinte e Régis não parecia gozar de muito prestígio com a equipe técnica azul, visto que o camisa 10, que tem média um gol criado a cada quatro jogos pelo clube, ficou de fora em quatro dos últimos sete jogos da Raposa e entrou após os dez minutos finais em dois dos três restantes.

Régis dando adeus e Orejuela de volta: o dia 1 do Cruzeiro
Foto: Gustavo Aleixo/Cruzeiro

Com isso, o atleta retorna ao Bahia, clube detentor de seu passe e não deixará saudades em Minas Gerais. Apesar de ter tido um bom momento pelo Cruzeiro no início da Série B, o atleta foi muito inconstante durante sua passagem pela Raposa e perdeu espaço com o decorrer dos jogos. O time mineiro agradeceu e se despediu do jogador nas redes sociais:

Orejuela

Já a situação de Luis Orejuela é um pouco mais complexa que a de Régis. O lateral-direito, que caiu com o Cruzeiro em 2019 e foi comprado pela Raposa com a ajuda de um patrocinador, fazia boa temporada emprestado ao Grêmio. No momento da cessão do jogador ao time gaúcho, ficou combinado um valor fixado de compra, o qual o tricolor tentou negociar no decorrer da temporada.

Apesar de tudo parecer próximo de se concretizar, Cruzeiro e Grêmio se desacertaram nos momentos finais e o contrato de empréstimo se encerrou juntamente com o ano de 2020. Com isso, Orejuela voltou a ser jogador da Raposa e seu vínculo com os mineiros foi reativado.

Mesmo sendo um nome de qualidade, Orejuela é um jogador considerado caro para a Série B e pode ser inviável para o Cruzeiro mantê-lo, vide a necessidade iminente de redução da folha salarial do clube. Além disso, o atleta é constantemente convocado para sua seleção e pode buscar atuar em clubes que disputem competições de maior visibilidade. Outro ponto é o interesse do Grêmio em sua permanência, já que o jogador se tornou peça importante na equipe finalista da Copa do Brasil, além de ser muito querido pela torcida.

Outro fator que pesa é a necessidade do Cruzeiro em vender atletas e a negociação de Luis Orejuela poderia render lucro ao time mineiro, que passa por complicados problemas financeiros e já tem dois nomes para a lateral-direita em seu elenco: o paraguaio Raul Cáceres, que caiu nas graças da torcida, e o promissor Rafael Luiz, da Seleção Brasileira sub-20.

Veja também: Cruzeiro fecha 2020 com artilheiros improváveis – Maurício, Manoel e Rafael Sóbis

Deixe seu comentário
Deixe seu comentário