Início Finanças Dedé entra na justiça contra o Cruzeiro pedindo rescisão mais R$ 35...

Dedé entra na justiça contra o Cruzeiro pedindo rescisão mais R$ 35 milhões mas tem pedido negado

O zagueiro Dedé que não atua há mais de um ano pelo Cruzeiro por seguidas lesões entrou na Justiça do Trabalho contra o time celeste pedindo a rescisão de seu contrato com a Raposa, além de mais R$ 35 milhões. No pedido, o jogador alegou “falta grave do empregador” mas sua solicitação foi recusada pelo órgão.

A informação é do repórter Gabriel Duarte, do ge.com. Segundo ele, a ação foi ajuizada na última segunda-feira (4) e a pedida financeira à 48ª Vara do Trabalho é de R$ 35.258.058,64. O juiz titular Marco Antônio Ribeiro Muniz Rodrigues, negou provimento. A decisão é diferente da de Danilo Siqueira de Castro Faria, outro juiz, que na última sexta-feira (8) havia mantido a decisão anterior e após recurso do Cruzeiro, deu ao clube 15 dias para apresentar defesa.

O jogador de 32 anos alega que está há 10 meses sem receber salário “referente ao fraudulento contrato de cessão e uso de imagem”, além de seis meses sem receber de salários fixos na carteira e mais quatro meses sem receber o depósito do FGTS. A ação de Dedé detalha os atrasos no pagamento:

“Período compreendido entre maio de 2019 a agosto de 2019, do período de setembro de 2019 e dezembro de 2019, NADA pagou ao Reclamante, sequer o 13º salário do ano de 2019 e, de janeiro a fevereiro de 2020, pagou valores parciais, de março à dezembro de 2020, efetivou apenas o pagamento de 3 (três) parcelas de R$ 150.000,00 (cento e cinquenta mil reais), sem especificar ao menos a que meses em aberto se referiam as citadas parcelas”.

Confira os pedidos de Dedé:

  • R$ 13.782.000,00: Pagamento dos valores incontroversos a título de remuneração inadimplida
  • R$ 3.390.666,66: Pagamento das verbas rescisórias
  • R$ 10.500.000,00: Com base no real salário ajustado (compreendendo-se os registrados na CTPS, bem como os pagos “por fora”) e em decorrência da rescisão indireta do contrato de trabalho por culpa exclusiva da Reclamada (atraso nos salários – mora contumaz configurada), requer de Vossa Excelência seja a Reclamada condenada ao pagamento da cláusula compensatória legal devida.
  • R$ 704.400,00: Seja a Reclamada condenada ao recolhimento do FGTS referente ao período não recolhidos.
  • R$ 1.032.000,00: Reflexos incidentes sobre o 13º salário aplicáveis às verbas pagas por fora a título de “direito de imagem”;
  • R$ 1.045.333,32: Reflexos sob férias + 1/3, incidentes sobre as verbas pagas por fora, devendo a mesma ser condenada ao pagamento integral destas, devidamente corrigidas e atualizadas na forma da Lei
  • R$ 1.053.658,66: FGTS incidente sobre os valores pagos por fora
  • R$ 3.750.000,00: Indenização por dano moral
  • Pagamento dos honorários advocatícios no importe de 15% (quinze por cento).

Dedé chegou ao Cruzeiro em 2013 e com a camisa estrelada ganhou dois Campeonatos Brasileiro (2013 e 2014), duas Copas do Brasil (2017 e 2018) e três Campeonatos Mineiros (2014, 2018 e 2019). Apesar do grande números de conquistas, o zagueiro ficou mais de 1500 jogos parado por lesão durante seu tempo na Raposa.

Veja também: Jadsom Silva falta ao treinamento e pode acionar a justiça para deixar Cruzeiro

Deixe seu comentário
Deixe seu comentário