EUA conquistam Copa Ouro Feminina da Concacaf com vitória por 1 a 0 sobre o Brasil

EUA conquistam Copa Ouro Feminina da Concacaf com vitória por 1 a 0 sobre o Brasil

A Seleção Feminina dos Estados Unidos conquistou a Copa Ouro Feminina da Concacaf inaugural com uma vitória de 1 a 0 contra o Brasil, diante de uma multidão entusiasmada de 31.528 fãs, numa bela noite em San Diego. Um gol da capitã da equipe, Lindsey Horan, nos momentos finais do primeiro tempo, foi suficiente para garantir a vitória e para que os EUA reivindicassem seu 15º título em torneios de campeonatos da Concacaf.

A partida teve a maior audiência já registrada para um evento feminino da Concacaf nos Estados Unidos. Os EUA terminaram o torneio com 15 gols, sendo que a atacante Jadeyn Shaw marcou quatro vezes, enquanto Horan fez três.

Shaw ganhou a Bola de Ouro como a melhor jogadora do torneio e a goleira Alyssa Naeher conquistou a Luva de Ouro como a melhor goleira. Naeher teve quatro jogos sem sofrer gols em suas cinco partidas e se destacou na história da USWNT com uma performance estelar de três defesas na disputa de pênaltis contra o Canadá na semifinal. Os EUA também receberam o prêmio Fair Play do torneio.

O primeiro tempo foi uma disputa acirrada e física, mas os EUA conseguiram se manter organizados na defesa, apesar de alguns desafios pesados, enquanto as equipes combinaram para 12 faltas antes do intervalo. Os americanos chegaram perto de abrir o placar em algumas ocasiões, enquanto também criavam oportunidades em contra-ataques. Os EUA finalmente criaram um gol no tempo de parada do primeiro tempo, quando Horan finalizou um longo cruzamento de Fox, vindo da lateral direita. Horan superou sua marcadora e cabeceou no canto direito, marcando seu terceiro gol no torneio e seu primeiro em jogo aberto, depois de converter dois pênaltis anteriormente.

Inspirados pelo gol tardio, os EUA voltaram fortes para o segundo tempo, conectando passes rápidos e ameaçando o Brasil pelas laterais com velocidade. Na defesa, os EUA apresentaram uma aula de mestre – liderados pelas zagueiras Naomi Girma e Tierna Davidson, que não cometeram erros durante a noite – para negar qualquer chute a gol do Brasil, apesar dos sul-americanos terem feito 11 chutes no total, enquanto Crystal Dunn e Emily Fox limitavam bem qualquer avanço dos atacantes pelas laterais.

Os americanos quase dobraram sua liderança no minuto 79 após ganhar uma bola do Brasil no terço defensivo, o que levou Lynn Williams a penetrar na defesa. A substituta do intervalo venceu a goleira com um bom chute, mas seu gol foi corretamente anulado por impedimento.

O Brasil lutou até o final e criou algumas chances perigosas nos momentos finais, especialmente em jogadas de bola parada, mas os EUA se mantiveram firmes – incluindo um corte na linha do gol da defensora Casey Krueger – para garantir a vitória.

DETALHES DO GOL:
EUA – Lindsey Horan (Emily Fox), 45+1 minuto: Trinity Rodman recebeu a bola na ala direita e driblou até a linha de fundo, atraindo a pressão de duas defensoras antes de encontrar Fox aberta atrás dela. Fox enviou um cruzamento para o segundo poste, onde Horan subiu para finalizar com uma cabeçada no lado direito da rede, a seis jardas de distância. EUA 1, BRA 0

NOTAS ADICIONAIS:
A assistência de Emily Fox para o gol de Horan foi a primeira de 2024 e a terceira em sua carreira.
As quatro contribuições de Horan para gol (3 gols, 1 assistência) empataram com Jaedyn Shaw (4 gols) pelo maior número na equipe neste torneio.

Henrique Costa